Paróquia São José Operário

Diocese
Menu
Paróquia São José Operário
Paróquia São José Operário

Praça Getúlio Vargas, 65 - Torres - RS

Festa em honra á Santa Rita de Cássia inicia dia 16!

Dia 16 iniciará as festividades da festa em honra a Santa Rita de Cássia, co-padroeira de nossa Paróquia! As festividades iniciam dia 16 e finalizam dia 22 com Missa as 10h30min juntamente com um Grande Almoço no Salão Paroquial as 12h.

Compre já seu ingresso na secretaria paroquial ou com alguns dos festeiros:

Mariza Pereira de Jesus & Luiz Carlos Rocha de Jesus
Dalva Carvalho Nunes & Sérgio da Silva Nunes
Lara Brizzoto Miguel & Edinei Monteiro Miguel
Clair Evaldt Schardosin & Zenoir Schutz Schardosin
Jovina Duarte Magnus & Nerceu Pacheco Magnus
Zélia Mariza de Matos Bauer

_______________________________________________

Confira a Programação da festa:

 

__________________________________________________

Conheça um pouco da história de Santa Rita de Cássia:

Santa Rita de Cássia era filha única. Nasceu em maio do ano de 1381, nas montanhas em Roccaporena,  perto de Cássia, região da Umbria, Itália. Era filha de Antônio Mancini e Amata Ferri, casal de muita oração e do qual todos gostavam. Não sabiam ler nem escrever, mas ensinaram à filha tudo sobre a fé em Jesus e Nossa Senhora. Eles contavam a ela também histórias de vida de muitos santos e santas, o que muito contribuiu para sua formação.

Vida de Santa Rita de Cássia

Santa Rita de Cássia queria ser religiosa, mas seus pais escolheram para ela um marido, como era costume na época. O marido escolhido foi Paolo Ferdinando. Não foi uma boa escolha, pois Paolo era um infiel no matrimônio e tinha o hábito de beber demais. Por causa dele, Santa Rita sofreu por 18 anos, período em que foi casada. O casal teve dois filhos. Durante o tempo de casada, Rita demonstrou  muita paciência e resignação por tudo que sofreu.

Mesmo sofrendo, ela nunca deixou de rezar pela conversão dele. Por fim, a mansidão e o amor de Rita transformaram aquele homem rude e bruto. Paolo se converteu e mudou sua vida conjugal de tal forma que as amigas de Rita e as mulheres da cidade vinham aconselhar-se com ela.

 

Paolo, embora verdadeiramente convertido, tinha deixado um rastro de violência e rixas entre alguns grupos da cidade. Assim, um dia ele saiu para trabalhar e não voltou para casa. Santa Rita de Cássia teve a certeza de que algo horrível tinha acontecido.

No dia seguinte ele foi encontrado morto. Tinha sido assassinado. Seus dois filhos, que já eram jovens, juraram vingar a morte do pai. Santa Rita, então, pediu a Deus que não deixasse eles cometerem esse pecado mortal. Logo os dois ficaram muito doentes, de forma incurável. Antes que eles morressem, porém, Santa Rita ajudou os dois a se converterem, ao amor de Deus e ao perdão. A graça foi tão grande que os dois conseguiram perdoar o assassino do pai, e morreram.

Parece estranho, mas a morte dos dois filhos de Santa Rita quebrou uma corrente de ódio e vingança que poderia durar anos, causando muito mais sofrimentos e mortes. Depois disso, Santa Rita de Cássia teve a certeza em seu coração de que os três estavam juntos no céu. Assim, tudo tinha valido a pena.

Deus coloca Santa Rita de Cássia  no convento

Santa Rita, estando sozinha na vida, quis entrar para o convento das irmãs Agostinianas, obedecendo ao chamado que sentia desde menina. As irmãs, porém, estavam em duvida sobre sua vocação, visto que tinha sido casada, o marido fora assassinado e os dois filhos morreram de peste. Por tudo isso, elas não queriam aceitar Rita no convento.

Então, numa noite, Santa Rita dormia, quando ouviu uma voz chamando: Rita. Rita. Rita.

Ela abriu a porta e estavam ali, São FranciscoSão Nicolau e São João Batista. Eles pediram que ela os seguisse e depois de andarem pelas ruas, os santos desapareceram e Rita sentiu um suave empurrão. Ela caiu em êxtase e, quando voltou a si, estava dentro do mosteiro, estando este com as portas trancadas. Então as freiras não lhe puderam negar a entrada. Rita viveu ali por quarenta anos.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Horário de Missas

São José Operário - Centro Domingos: 19h30min Quartas: 19h Última sexta do mês: 19h30min (Cura e Libertação) Primeira sexta do Mês: 19h (Apostolado da Oração)

Rádio Maristela


Mensagem do Pároco

Nossas Comunidades